Mesmo com corte de salários, professores das universidades estaduais baianas resistem à pressão do governo

EM ASSEMBLÉIA, PROFESSORES DA UEFS DECIDEM CONTINUAR EM GREVE

 

Publicada em 30/05/2011 ás 21:59hs

Em assembleia na tarde de hoje (30), com 143 assinaturas na lista de presença, por apenas três votos contra e quatro abstenções, os docentes aprovaram a continuidade da greve na Uefs. Em todas as falas, os professores responsabilizaram o governo pela continuidade da greve já que o mesmo mantém uma postura intransigente e autoritária ao retirar a proposta da Mesa de Negociação (aqui) durante a última reunião na sexta (27). A decisão da categoria demonstra sua indignação, expressa na disposição para luta mesmo com os salários de abril e maio cortados pelo governo.

A assembleia aprovou uma série de mobilizações e atividades e delegou ao Comando de Greve autonomia para negociar, em conjunto com os outros Comandos de Greve, através do Fórum das ADs. Neste sentido, foi aprovado o encaminhamento de uma nova proposta ao governo, sobre a incorporação da CET e o decreto 12.583/11, na quinta (02) e a solicitação de uma reunião já para a sexta (03), a fim de retomar as negociações. Sobre a CET, o norte para a negociação é flexibilizar o tempo de vigência do Acordo, garantida a incorporação completa, no máximo, até 2014. Quanto ao Decreto, a linha aprovada foi pela manutenção da defesa da autonomia universitária, propondo ao governo o agendamento de reuniões com o Fórum das 12 e o Fórum dos Reitores, sendo a primeira imediatamente (ainda durante a greve), pautando possíveis soluções para os efeitos do Decreto nas UEBA.

Além do Ato Público nesta terça (31) na ALBA, às 10h, e da campanha de mídia na televisão, estão agendadas uma reunião com o Fórum das entidades representativas dos estudantes e dos técnico-administrativos amanhã (31), à tarde, e outra com o Fórum dos Reitores na quarta (01), na UNEB, às 13h, para discutir os impactos do Decreto e as estratégias para garantir a autonomia universitária. No que tange à liminar concedida pela desembargadora Deise Lago, na qual manda o governo pagar os salários, a assessoria jurídica tomará todas as providências cabíveis em caso de descumprimento da ordem judicial, inclusive solicitar a prisão do governador, como faculta a legislação.
 
Na assembleia, a assessoria de comunicação, além de relatar a repercussão da greve na mídia e nas redes sociais, também exibiu o VT que está sendo veiculado pelas afiliadas da Rede Globo em todo o estado (aqui). A expectativa dos docentes é que, com o fortalecimento do movimento e a apresentação de nova proposta, o impasse imposto pelo governo possa ser superado.

 

 

Obra de Juraci Dórea é destaque em mostra de arte em São Paulo

No período de 27 deste mês a 3 de junho, o artista plástico Juraci Dórea participa da exposição individual “Arquivos em Processo”, em São Paulo. A mostra é promovida pela Intermeios – Casa de Artes e Livros e pelo Centro de Estudos da Oralidade (PUC/SP), com apoio da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). Apresentará documentos que compuseram o processo de criação do artista feirense no Projeto Terra.

Esculturas feitas de madeira e couro fincadas em pleno sertão compõem o Projeto Terra, que chamou a atenção dos críticos justamente por mudar o circuito tradicional da obra de arte, tirando-a dos locais previstos e previsíveis. Seu criador, por hábito, registrava cada etapa em diversas mídias: fotos, vídeos, gravações de áudio e anotações num diário. Este registro ganhou status de obra ao se transformar em livros e exposições nos museus e bienais. O projeto nasceu para viver em lugares inusitados e ganhou o mundo através da sua documentação.

A exposição, que tem a curadoria das professoras Jerusa Pires Ferreira e Cecília Almeida  Salles, além de Carolina Lobo, mestranda na PUC/SP, apresenta vídeos, fotos, anotações e outros documentos que compuseram o processo de criação no Projeto Terra, com o qual o artista participou de exposições como as Bienais de São Paulo, Veneza e Bienal de Havana, entre outras.

Coletivas

Juraci Dórea também participa da mostra “Artistas Arquitetos” – Coletiva que pode ser visitada até 30 de junho, no Museu Regional de Arte, em Feira de Santana. Nessa exposição ele apresenta quatro obras da série Cenas Brasileiras.

Com a instalação ”Concerto para Raposas e Violoncelo”, Juraci Dórea ocupa uma das salas do Museu de Arte Contemporânea, na coletiva “Pontos Cardeais”, que fica aberta ao público até 15 de junho, ao lado de Maristela Ribeiro, Edson Machado e George Lima.

Lembranças de Feira de Santana” é a instalação que o artista apresenta na Exposição “Intercâmbio Bahia & São Paulo” – coletiva que já foi vista em Feira de Santana. A mostra será aberta em 1º de junho, na galeria Asia Arts/ Asia 70 em São Paulo, com artistas baianos como Leonel Matos, Sante Scaldaferri, Bel Borba, César Romero e Sergio Rabinovitz e os paulistas, Caciporé Torres, Ivaldo Granato e Antonio Peticov, entre outros.

Socorro Pitombo – Assessoria Cuca/Uefs

 

 

Português lança livro com Cordel de Franklin Machado

 

O poeta feirense Franklin Maxado prepara o lançamento do seu folheto “Portugal Fez e Faz Cordel Navegar por Ares Outros”, publicado em Portugal como um capítulo do livro “Crônicas em prosa de mar e versos de cordel” do escritor Antonio Abreu Freire. O lançamento está programado para o dia 27 de maio, na Galeria de Arte Carlo Barbosa, no Cuca, com a presença de Abreu Freire. Na ocasião, também será aberta a exposição de Xilogravuras de Franklin Maxado, com apresentação do professor Edvaldo Boaventura. A mostra poderá ser visitada até 9 de junho.

O escritor Antônio Abreu Freire é um português voltado para as questões ligadas ao mar, para a sua Universidade de Aveiro, também para o padre Antônio Vieira, para a Bahia e o Brasil. Com o cordel e a xilogravura de Franklin Maxado, Abreu Freire penetra nos sertões da Bahia em busca de outros espaços, confirmando no livro “Crônicas”,  a aventura portuguesa por terras e mares  visitados.

A iniciativa conta com o apoio da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) e todas as entidades culturais da cidade, a exemplo da Academia Feirense de Letras; Academia de Letras e Artes; Instituto Histórico e Geográfico; Academia de Educação; e a Academia de Ciências, Artes e Letras.

Assessoria Cuca/Uefs

Festival de Sanfoneiros

 

      Uma mulher concorre à etapa final do concurso 

Pela primeira vez uma mulher participa da etapa final  do Festival de Sanfoneiros de Feira de Santana, promovido pelo Cuca. Trata-se de Lidia Tomaz de Aquino, que substitui o sanfoneiro Luiz Regival Carneiro. Por ordem de apresentação, Lidia será a última a mostrar ao público a sua performance. Ela é natural da cidade de Bananeiras (PB), atualmente residindo em Serrinha, onde também integra a Orquestra Sanfônica da cidade, a primeira no gênero na Bahia. 

Outra modificação no Festival. Benedito Souza Santana, da cidade de Irará,  fica no lugar de Luciano Reis de Jesus.  A desistência dos dois sanfoneiros foi motivada por compromissos profissionais que coincidiram com a data do festival.  A seleção dos 12 músicos que vão participar da final do concurso foi feita por uma comissão composta pelo cantor e intérprete de música nordestina, J. Sobrinho, o repentista Caboquinho e o cantor e compositor Timbaúba. 

O resultado do 4º Festival de Sanfoneiros de Feira de Santana será divulgado no final das apresentações, na próxima quinta-feira (26), no Centro de Cultura Amélio Amorim. No julgamento dos candidatos, que será feito por um júri composto de no mínimo cinco e no máximo 7 membros,  está em jogo a execução do instrumento ( a sanfona); performance do instrumentista, como desenvoltura e comunicação com o público;  e apresentação do conjunto, que inclui a sanfona, zabumba, triângulo e intérprete.

Socorro Pitombo

Quartas baianas no interior

 

Trata-se de um projeto da Associação Baiana de Cinema e Vídeo – ABCV – aprovado pelo BNB, e tem como  objetivo difundir a produção audiovisual baiana no interior do estado.

Cinco importantes municípios sediarão o evento: CACHOEIRA, FEIRA DE SANTANA, CAMAÇARI, VITÓRIA DA CONQUISTA e LENÇÓIS. No projeto constam ações como: exibição de filmes, palestras e debates com produtores e realizadores, além de oficinas técnicas  relacionadas a linguagem do audiovisual.

Em Feira de Santana, o projeto ocorrerá entre os dias 25 a 28 de maio, NO MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA – MAC (Rua Geminiano Costa, 255, Centro, ao lado da Biblioteca Municipal). As atividades são   gratuitas e em Feira conta também com o apoio do FEIRA COLETIVO CULTURAL, TV OLHOS D’ÁGUA e PROGRAMA IMAGENS: CINEMA NA UEFS.

Só um lembrete de Mário Quintana ….

 

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.
Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.
Desta forma, eu digo:
 Não deixe de fazer algo que gosta, devido à falta de tempo,
pois a única falta que terá,
será desse tempo que infelizmente não voltará mais.

Mário Quintana

 

Depoimento de professora silencia deputados

A Professora Amanda Gurgel silencia Deputados em audiência pública. Depoimento resumindo o quadro da Educação no Brasil, a educadora fala sobre condições precárias de trabalho no RN/BRASIL e sobre os baixos salários pagos aos professores da rede pública

 

Ter razão ou ser feliz?

 

Oito da noite numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos. O endereço é novo, bem como o caminho que ela consultou no mapa antes de sair.

Ele conduz o carro. Ela orienta e pede para que vire na próxima rua, à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita. Discutem. Percebendo que além de atrasados, poderão ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado. Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno.

Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados. Mas ele ainda quer saber:

- Se você tinha tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devia ter insistido um pouco mais…

E ela diz:

- Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma discussão e se eu insistisse mais teríamos estragado a noite!

                                (Autor desconhecido)

 

Recebi esse texto por e-mail (obrigada, Carol!) e com a mensagem, uma explicação: essa historinha foi contada por uma empresária durante uma palestra cujo tema era “simplicidade no mundo do trabalho”. Ela usou a cena para mostrar o quanto de energia nós gastamos, apenas para demonstrar que temos razão, independente de tê-la ou não.

E é aqui que o texto tem a ver comigo, que já briguei muito para defender meu ponto de vista. Hoje, prefiro ser feliz a ter razão!