Perfil e informações sobre o blog

 

EuBusto 2

Quem sou eu? Leni

Sou amante das artes. Gosto de ler, escrever, cantar, ouvir música, comer bem e de viajar. Tenho muitos amigos, todos especiais. Detesto hipocrisia, preconceito, mentira e injustiça.

Sou licenciada e pós-graduada em Letras com francês. Como professora, amo o meu trabalho e começaria tudo outra vez, se preciso fosse…

Ah, gosto de cozinhar!

Por que resolvi criar um blog

 As razões que motivam alguém a criar e a manter um blog são várias. Entrei na blogosfera sem nenhuma experiência e sem nenhuma ideia precisa do que um blog representava na vida de uma pessoa. Certo dia conversava ao telefone com a minha filha, que mora em outra cidade e comecei a me queixar da ausência de comunicação, apesar de todos os avanços da tecnologia e da expansão da internet, quando ela sugeriu que eu criasse um blog. Tomei coragem e criei o meu primeiro bloguinho, em 04 de fevereiro de 2008, sem assumir totalmente a minha identidade, por timidez. Motivada pelos comentários e pelo incentivo de pessoas que não me conheciam, continuei a empreitada.

 Qual a minha motivação em manter um blog?

Às vezes me pego escrevendo coisas que não interessam a ninguém, mas faço isso por puro prazer. Tenho dezenas de classificadores abarrotados de escritos que guardei ao longo do tempo, mas quando os procuro, nem sempre os encontro. O blog me permite organizar este universo, pois tudo fica registrado num só espaço e à medida em que ele vai caminhando, muitas coisas importantes são repertoriadas, salvas, enquanto outras vão para o lixo. Além disso, as publicações de vários autores que registro aqui são importantes para mim, tanto pelo valor estético e literário, quanto pelo valor afetivo.

O blog tornou-se um companheiro. Sou daquelas pessoas que gostam de compartilhar experiências; além disso, posso externar minha opinião, mostrar fotos, obras de arte, crônicas e poemas. Assim posso estabelecer um diálogo com aqueles que se identificam comigo e com as coisas que publico, de outros autores, ou da minha autoria. Leio os comentários, aceito sugestões, aceito colaborações e respondo a todos. Também divulgo eventos e livros de forma espontânea, sem nenhum interesse financeiro.

Também aprendi que um blog é uma ferramenta poderosa e que por isso deve ser manuseada com muito cuidado. Ela me dá o direito de dizer o que penso, mas é preciso não esquecer que a ética e a sensatez devem estar em primeiro plano. No blog pode-se criticar, sem ofender; pode-se discordar, sem agredir. Pode-se elogiar, sem paparicar. Pode-se denunciar de maneira responsável. Além disso, pode-se defender pontos de vista, sem a pretensão de ser o dono da razão. O blog permite tirar do anonimato pessoas que realizaram coisas relevantes – artesãos e artistas populares – homenagear artistas consagrados, ou não,  além de ser um lugar onde se pode contar histórias.

O blog também funciona como um laboratório e até mesmo como uma biblioteca particular, bem heterogênea, onde posso testar e organizar um acervo valioso, para o meu deleite e dos leitores que se interessarem. Quando escrevo na tela em branco do computador, não me sinto sozinha comigo mesma. Fico sempre imaginando a reação das pessoas diante dos posts. Imagino se aquilo que vou publicar vai agradar, ou não, aos leitores; mas permaneço lúcida, pois a vida real é lá fora e segue seu curso independente da minha vontade. Assim, considero esse espaço apenas como um intervalo lúdico, agradável e descontraído, onde posso repertoriar coisas que aprecio.

 Para que serve um blog?

Um blog pode ter várias funções. A mania de “blogar” foi adotada por escritores, cantores, artistas plásticos, profissionais liberais e jornalistas, como instrumento de divulgação de ideias. Um blog permite que o seu autor divulgue trabalhos técnicos ou literários, analise e discuta assuntos do seu interesse e da sua comunidade, de maneira descontraída e informal. Um blog pode ser utilizado para publicar propagandas, para divulgar eventos de diversas naturezas e, sobretudo, permite ao seu autor de selecionar os seus interesses através de publicações que não teriam espaço em outros meios de comunicação. Um blog pode funcionar como instrumento de divulgação cultural, como noticiário ou boletim de análise política.

Há quem utilize o blog como terapia. Alguns escrevem sobre o que sentem, ou sobre o que sofrem ou sofreram; contam histórias de vida que não teriam coragem de contar de viva voz. Outros preferem falar da vida de pessoa famosas, ou publicar receitas de comidas, triviais ou exóticas. Há ainda aqueles que escrevendo como profissionais e com conhecimento de causa – psicólogos, médicos, advogados - ajudam outros a entenderem melhor seus próprios problemas. Enfim, há aqueles que se dedicam a comentar filmes e o fazem com tanta propriedade, que se tornam verdadeiros guias. Há os que falam de decoração, de fotografia, de animais, de flores, de religião e de ecologia. A lista seria imensa e eu correria o risco de esquecer alguns itens. Todos têm liberdade de escrever e comentar sobre assuntos diversos. E quando alguém cria um blog, creio que o faz por alguma razão. Logo, para mim um blog é um grande baú onde ficam os meus guardados; é, também,  uma válvula de escape e  um espaço que administro com muito prazer e alegria.

Ah, o Baú é meu, mas a princesa é a cidade onde nasci, Feira de Santana, a “Princesa do Sertão”.

                                      Leni David

Contato: lenidavid@gmail.com