Arraiá do Comércio

 

Com o intuito de resgatar, promover e valorizar as tradições juninas, o SESC em parceria com a Prefeitura Municipal e a ACEFS, estará realizando no período de 09 a 17de junho do corrente ano, uma autêntica festa de São João: o 14º ARRAIÁ DO COMÉRCIO.

Visando repetir o sucesso dos anos anteriores, estaremos proporcionando aos feirenses e visitantes um verdadeiro “arraiá” do interior, fomentando o aquecimento do comércio no Centro da cidade, atraindo a comunidade com uma programação temática de qualidade num espaço onde todas as classes sociais tenham acesso e promovendo a integração campo/cidade, através da propagação de atividades genuinamente rurais (artesanatos, bebidas e comidas típicas). É importante frisar que todos os produtores passaram por um curso com duração de 02 dias (26 a 27/05) no SENAC sobre “Confecção e qualificação de produtos juninos e atendimento”, no qual tenham a oportunidade de desenvolver novos conhecimentos e aperfeiçoar o seu trabalho.

A Praça João Barbosa de Carvalho (Praça do Fórum), já consolidada como espaço cultural, será o palco onde se apresentarão diversos trios forrozeiros, quadrilhas e grupos culturais da nossa cidade e região, entre às 12:00h e 22:00h dos nove dias de festa (entre 09 e 17 de junho), mostrando toda a alegria e magia que compõem a maior festa popular do Nordeste, valorizando assim o nosso Patrimônio Cultural e Humano.

A ARRAIA

.

SESC – Projeto Arraiá do Comércio

 

 

Com o intuito de resgatar, promover e valorizar as tradições juninas, o SESC em parceria com a Prefeitura Municipal e o SICOMFS, estará realizando no período de 11 a 19de junho do corrente ano, uma autêntica festa de São João: o “ARRAIÁ DO COMÉRCIO 2013”.

 Visando repetir o sucesso dos anos anteriores, estaremos proporcionando aos feirenses e visitantes, um verdadeiro arraiá do interior, fomentando o aquecimento do comércio no centro da cidade, atraindo a comunidade com uma programação temática de qualidade num espaço onde todas as classes sociais tenham acesso e promovendo a integração campo/cidade, através da propagação de atividades genuinamente rurais (artesanatos, bebidas e comidas típicas). É importante frisar que todos os produtores passaram por um curso com duração de 02 dias (04 e 05/06) no SENAC sobre “Segurança, manuseio e empreendedorismo”, onde tiveram a oportunidade de desenvolver novos conhecimentos e aperfeiçoar o seu trabalho.

A Praça João Barbosa de Carvalho (Praça do Fórum), já consolidada como espaço cultural será o palco onde se apresentarão diversos trios forrozeiros, quadrilhas e grupos culturais da nossa cidade mostrando toda a alegria e magia que compõem a maior festa popular do Nordeste, valorizando assim o nosso Patrimônio Cultural e Humano.

Como no ano passado, serão efetuados alguns ajustes, tanto na programação dos shows, que nos finais de semana encerrarão mais cedo, quanto no horário de fechamento da rua lateral da Praça (trecho entre o Edf. Ducarmo e a Propão), a partir das 17 horas entre os dias 11 e 19 de junho, período este em que o movimento de pessoas toma todo o espaço reservado para a festa.

Convidamos todos os feirenses e visitantes a se deliciarem com muita comida e bebida típica ao som do autêntico forró pé-de-serra, observando a beleza e harmonia dos grupos culturais e a riqueza do artesanato regional. Venham e participem do Arraiá do ComércioO melhor negócio do seu São João.

Delícias juninas – Bolo de milho apressadinho

 

5 espigas de milho (debulhado) ou 1 frasco de milho verde em conserva

½ xícara de manteiga (derretida)

1 xícara e meia de farinha de trigo

3 ovos

1 colher de sopa de fermento em pó.

100 g de coco ralado (em saquinhos) ou 250 g de coco ralado (fresco)

1 lata de leite condensado ou 2 xícaras de açúcar

Modo de preparar

Bater os grãos de milho no liquidificador com 1 xícara de água. Se preferir usar o milho em conserva, bater com o líquido da embalagem; passar pela peneira. Despejar o creme obtido no liquidificador e acrescentar o leite condensado (ou o açúcar), os ovos e a manteiga derretida, que já deve estar em temperatura ambiente. Bater durante 1 minuto;  fazer uma pausa e bater por mais 2 a 3 minutos.

Despejar o conteúdo do liquidificador em uma tigela, juntar o coco ralado, misturar bem e acrescentar a farinha misturada com o fermento mexendo sempre com uma colher de pau. Untar uma forma redonda com furo central, polvilhar com farinha de trigo e levar ao forno previamente aquecido por cerca de 40 minutos. Desenformar ainda morno.

Comentário: Gosto muito de bolo de milho e faço essa receita sempre, por ser prática e rápida. Delícia!

Delícias juninas – Bolo de aipim

 

 Bolo de aipim

 

6 xícaras de aipim (macaxera) ralado e espremido

2 xícaras de açúcar

½ xícara de manteiga

3 ovos

1 coco ralado

1 colher de chá (rasa) de sal

1 colher de chá de fermento em pó

Modo de preparar:

Ralar o coco ou bater no liquidificador com 1 xícara de água. Extrair o leite do coco e reservar; separar metade do bagaço do coco. Bater a manteiga e o açúcar até ficar como um creme; juntar os ovos inteiros (um a um) e bater bastante. Aos poucos adicionar o aipim ralado, misturando bem..

Misturar a metade do bagaço e 2/3 do leite de coco que ficou reservado e o fermento  à massa. Mexer bem e despejar em assadeira untada com manteiga e enfarinhada. Despejar por cima o restante do leite de coco e levar ao forno pré-aquecido por aproximadamente 45 minutos. O bolo estará assado quando você enfiar um palito e o mesmo sair seco.

Observação: A receita é antiga, ganhei a mesma de uma tia, doceira de mão cheia, e a mesma já foi testada por mim, provada e  aprovada inúmeras vezes por amigos e familiares.

.

Viva São João!

 

Téta Barbosa

São João era primo de Jesus, mas poderia muito bem ser meu primo, ou primo da vizinha, tamanha é a intimidade do nordestino com o santo do batismo.

E neste mês de junho, comemoramos, entre bandeirolas e fogueiras, a santa trilogia, que neste caso nada tem a ver com o Pai, o Filho e o Espírito Santo, pois se trata de Santo Antônio, São Pedro e São João, o santo que dá o nome à festa, provavelmente um nepotismo celeste, afinal o cara era primo de Jesus.

É verdade que em marketing pessoal, Santo Antônio não fica atrás de João Baptista, porque é o santo casamenteiro e, nos dias de hoje, ele faz mais sucesso do que o filho de Isabel. Já São Pedro, coitado, mesmo tendo a chave do céu, não causa muita comoção quando o assunto é festa junina.

O fato é que, desde a época que o filho de Deus andou pelas bandas da Palestina até os dias de hoje, muito se perdeu do sentimento religioso da festa. Entre o milho assado e a banda do momento que toca no palco principal do evento (sim, agora é um evento e não mais uma festa popular) pouco se sabe ou se fala dos apóstolos e profetas que seguiram Jesus antes de Ele partir desta para melhor.

Pior ainda é que muito se perdeu do espírito popular da comemoração junina. Em Caruaru, por exemplo, o maior São João do Mundo, seguindo a tradição megalomaníaca de Pernambuco, a programação passa por Chiclete com Banana, Calypso e, pasmem, Michel Teló. Posso imaginar Jesus, no reino celeste, dizendo ao primo “ai se eu te pego, São João”.

A decoração já não traz mais tantos balões coloridos porque os espaços foram tomados por banners publicitários. São tantos anunciantes e marcas que é difícil enxergar a luz, ou melhor, a fogueira no fim do túnel.

Para ouvir um autêntico forró pé de serra e sentir o cheirinho da canjica saída do forno, só mesmo fugindo para cidades menores onde o caráter popular ainda resiste ao apelo comercial. Estamos falando de Arcoverde, Serra Talhada,Triunfo, Sairé, Salgueiro, Pesqueira entre outras.

Mas não tem drama, é só sair do circuito main stream para lembrar da voz de Luiz Gonzaga, ver fogueiras nas frentes das casas (tem gente que mora em casas, sabia?), ver as sandálias de couro arrastando seus pés pelos salões, comer pamonha, e acender os fogos.

Porque para celebrar o nascimento de um primo ou de um amigo íntimo da família, não é preciso esperar a programação oficial da cidade, basta acender a vela, cantar o parabéns e gritar: Viva São João!

*Téta Barbosa é jornalista, pernambucana, e escreve para o blog do Noblat.

 

Tradições juninas no Museu Casa do Sertão

“São João passou por aqui?!”

É com essa saudação que o visitante do Museu Casa do Sertão será recebido durante o período de 11 de junho a 13 de julho. Composta por duas mostras, a exposição “São João passou por aqui?!”, reúne a “Devoção aos santos juninos Antônio, João e Pedro” e o “Forró em vinil: coleção da Afalg e o Rei do Baião”.

Na homenagem aos santos católicos estão retratadas algumas manifestações populares acerca da relação de devoção que movimentam o mês de junho em todo o Nordeste brasileiro, como trezenários e novenários, sejam com a realização de procissões, ou ainda com a prática tipicamente brasileira de tratar o santo protetor como íntimo da vida cotidiana.

O visitante também vai conhecer parte do acervo doado ao Museu Casa do Sertão da extinta Associação Feirense dos Admiradores de Luiz Gonzaga (Afalg), fundada no dia 7 de março 1990, com o objetivo de preservar a obra musical do Rei do Baião. Estão expostas peças como discos em vinil, fitas k7 e pôsteres, merecendo destaque um par de alças de sanfona que foram utilizadas por Luiz Gonzaga. Esta mostra fica em exposição até o mês de dezembro, quando se comemora, no dia 13, o centenário de nascimento do Mestre Lua.

Para divertir a garotada, na semana de11 a15 de junho, haverá atividades recreativas como acerte o alvo, jogo de argolas, tire a sua sorte, dança da laranja, pescaria entre outras, retomando brincadeiras e jogos típicos de praças em noites de festejos juninos. O objetivo é valorizar tradições juninas pouco conhecidas nos grandes centros urbanos, além de despertar o interesse por diversões coletivas que fazem parte do cotidiano nordestino. A exposição poderá ser vista das 8h15 às 11h30 e das 14h15 as 17h30, de segunda a sexta. O contato para agendamento deverá ser feito pelo telefone (75) 3161-8099.

Ascom/Uefs

Arraiá do Comércio 2012

 

 

Com o intuito de resgatar, promover e valorizar as tradições juninas, o SESC em parceria com a Prefeitura Municipal e o SICOMFS, estará realizando no período de 11 a 17de junho do corrente ano, uma autêntica festa de São João: o “ARRAIÁ DO COMÉRCIO 2012”, que neste ano homenageará o centenário de Luiz Gonzaga.

Visando repetir o sucesso dos anos anteriores, estaremos proporcionando aos feirenses e visitantes, um verdadeiro arraiá do interior, fomentando o aquecimento do comércio no centro da cidade, atraindo a comunidade com uma programação temática de qualidade num espaço onde todas as classes sociais tenham acesso e promovendo a integração campo/cidade, através da propagação de atividades genuinamente rurais (artesanatos, bebidas e comidas típicas). É importante frisar que todos os produtores passaram por um curso com duração de 02 dias (29 e 30/05) no SENAC sobre “Segurança, manuseio e empreendedorismo”, onde tiveram a oportunidade de desenvolver novos conhecimentos e aperfeiçoar o seu trabalho.

A Praça João Barbosa de Carvalho (Praça do Fórum), já consolidada como espaço cultural será o palco onde se apresentarão diversos trios forrozeiros, quadrilhas e grupos culturais da nossa cidade mostrando toda a alegria e magia que compõem a maior festa popular do Nordeste, valorizando assim o nosso Patrimônio Cultural e Humano.

Como no ano passado, serão efetuados alguns ajustes, tanto na programação dos shows, que nos finais de semana encerrarão mais cedo, quanto no horário de fechamento da rua lateral da Praça (trecho entre o Edf. Ducarmo e a Propão), a partir das 17 horas entre os dias 11 e 17 de junho, período este em que o movimento de pessoas toma todo o espaço reservado para a festa.

Convidamos todos os feirenses e visitantes a se deliciarem com muita comida e bebida típica ao som do autêntico forró pé-de-serra, observando a beleza e harmonia dos grupos culturais e a riqueza do artesanato regional. Venham e participem do Arraiá do ComércioO melhor negócio do seu São João.

PROGRAMAÇÃO

 

Data: 11/06/2012.

  • Abertura Oficial na Praça João Barbosa de Carvalho.

Horário: 19:00h

 

PRAÇA JOÃO BARBOSA DE CARVALHO

Período: 11/06 a 17/06/2012

Horário: Das 09:00 às 22:00 h

Programação Diária.

  • Exposição e venda de artesanatos.
  • Feira de Produtos típicos: Culinários; Manufaturados e In natura
  • Apresentação de Trios de Forró;

Horário: 10:00 às 12h; 12: às 14:00h; 16:00 às 18:00h; 18:00 às 20:00h e 20:00 às 22:00h

  • Apresentação de Grupos Culturais (Quadrilhas; Danças e Artistas Regionais).

Horário: 14:00 às 16:00h

.Observação:

  • Número de stands: 80 barracas.
  • Serão 84 grupos de Produtores rurais.

Salientamos que no sábado,16/06/11, a programação dos trios de forró começará as 11 e encerrará às 21h e no domingo, 17/06/12, começará  as 10h e se encerrará as 19h.

 

Baio do Acordeon

 

Os festejos juninos se aproximam. A chuva caiu generosa e fez renascer a esperança em parte do interior baiano. Apesar da perspectiva de melhoras, inúmeras cidades  cancelaram os festejos juninos em razão da seca que atinge o estado. Muitas outras encolheram o calendário festivo em virtude da escassez de recursos financeiros, que devem priorizar o combate à seca. Entre elas, cidades como Senhor do Bonfim, Lençóis, Mucugê e Amargosa, palcos de festas tradicionais famosas pela animação e pelo grande número de turistas que as visitam para festejar o São João. Em 2012 vai ser diferente e os prejuízos não serão somente aqueles provocados pela estiagem; hotéis e pousadas, fabricantes de iguarias, bares, restaurantes, lojas de fogos de artifício e músicos também serão afetados.

No último dia 23 de maio, em Feira de Santana, aconteceu o V Festival de Sanfoneiros promovido pelo Cuca (Centro Universitário de Cultura e Arte). O vencedor do I Festival de Sanfoneiros, Baio do Acordeom, foi homenageado durante a festa. Baio – André Galdino dos Santos – nascido em 28 de Fevereiro de 1944, em Água Branca, Alagoas, e feirense de coração desde os sete anos de idade – é uma daquelas pessoas que têm dom de mudar o ritmo da vida. Adepto do “forró-pé-de-serra”, quem tem alguém como Baio por perto, não pode sentir tristeza; mesmo sem a fartura e variedade dos quitutes juninos, do milho e do amendoim que a seca não deixou nascer, a beleza da música nordestina que anima as festas de junho, ao som da sanfona, joga a tristeza para o alto.

O vencedor do I Festival de Sanfoneiros, do qual tive a honra de fazer parte da comissão julgadora, tem uma história bonita para contar. Seu pai era funcionário da Leste Brasileira e tocava sanfona de 8 baixos; Baio aprendeu com ele e juntos tocavam o “fole de 8 baixos” nas feiras livres das redondezas, acompanhados por Djalma (pandeiro) e Pedro (tambor), seus irmãos. Com o tempo resolveu experimentar outras sanfonas; inicialmente a de 24 baixos, a de 40, até chegar aos 120 baixos, mas tem preferência pela sanfona de 80 baixos.

Em 1974, no antigo Campo do Gado, famosa feira de animais que animava a cidade às segundas-feiras, Baio executava “Asa Branca” com a sua sanfona, quando foi ouvido por Luiz Gonzaga, o conhecido Rei do Baião. Gonzagão ouvindo aquilo ficou impressionado e muito feliz, a ponto de prometer-lhe uma sanfona branca. Algum tempo depois o presente prometido chegou ao endereço de Beto (a quem o Rei do baião confiava os consertos dos seus instrumentos quando passava pela Bahia), na Rua J. J. Seabra, em Feira de Santana, para que o mesmo fosse entregue a Baio. Beto não se encontrava em casa e o instrumento foi recebido pelo músico Erudilio, que o entregou ao destinatário: Baio do Acordeom. A história ficou famosa, quase uma lenda, mas a sanfona oferecida por Luís Gonzaga foi reverenciada como uma relíquia.

A trajetória artística de Baio é muito rica e bonita, enquanto sanfoneiro tradicional de Feira de Santana e região, muito conhecido na Bahia, no Nordeste e em grande parte do Brasil; ele conviveu com muitos artistas nordestinos, principalmente no final dos anos 60 e nas décadas seguintes, entre eles, o próprio Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Abdias dos 8 baixos, Marinês, Messias Holanda, Coronel Ludugero, Waldik Soriano e Lilico. Baio também participou da caravana CBS, com o grupo “Os Bambas do Nordeste”, formado por ele mesmo, Jorge (zabumba) e Binha (triângulo), com o Trio Nordestino (em especial, Lindú – um grande sanfoneiro e cantor de forró), Elino Julião (compositor e cantor do Rio Grande do Norte), Negrão dos 8 Baixos (André Araújo, grande tocador de “pé de bode” e muitos outros, especialmente, Jacinto Limeira.

Também participou de gravações de vários artistas como instrumentista, desde a época dos LPs e atualmente dos CDs. Baio é sempre solicitado para animar eventos juninos, ou sempre que o “forró pé-de-serra” é solicitado.

Parabéns, Baio! Enquanto existirem pessoas como você e sanfonas como a sua, o nordeste poderá sorrir, mesmo quando agredido pela seca inclemente.

Observação: As informações sobre o artista foram fornecidas por Jota Sobrinho e as fotos são do artista visual George Lima.

 

Abertas as inscrições para o 5º Festival de Sanfoneiros

 

O Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), entidade vinculada à Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), abriu as inscrições para o 5º Festival de Sanfoneiros. Os artistas interessados em participar devem acessar o edital do festival, disponível no portal www.uefs.br, seção Notícias, ou solicitar cópia no Cuca.

A inscrição pode ser feita de forma presencial até 30 de março, de segunda a sexta-feira, das 8 às 11h30 e das 14 às 17h30. Quem preferir pode utilizar os correios, enviando a inscrição até 23 de março para o endereço: Rua Conselheiro Franco nº 66, Centro, Feira de Santana – Bahia, CEP 44002-128.

O espetáculo com os finalistas será realizado em 25 de maio no Auditório Central da Uefs, campus universitário.

Outras informações através do telefone (75) 3221-9766.

Viva São João!

 

O São João chegou. Muita alegria, música, fogos, licores e comidas gostosas: canjica, arroz doce, bolo de milho, puba e aipim (macaxeira). O São João é a minha festa preferida, a mais alegre e a mais colorida do ano. 

Infelizmente, nesse São João, a casa não está cheia. Mesmo assim a tradição será mantida e à noite estarei ao pé da fogueira. Para dar água na boca publico as fotos dos meus pratos juninos preferidos.

São João passou por aqui? Passou!

Amendoins cozidos

Pamonhas de milho verde

Bolo de aipim

Licores de genipapo, maracujá e pitanga; bolo de puba e balinhas de genipapo

Cocadinhas de leite

Bolo de milho