Festival de Sanfoneiros e Caminhada do Folclore

 

Situação orçamentária faz Uefs cancelar eventos culturais

Dois eventos culturais do calendário da Universidade Estadual de Feira de Santana, o Festival de Sanfoneiros e a Caminhada do Folclore, não serão realizados esse ano. O motivo é a atual situação orçamentária da Instituição, que enfrenta dificuldades financeiras para o exercício de 2015. Outros dois importantes eventos foram mantidos: o Bando Anunciador e o Aberto.

De acordo com Rosa Eugênia Vilas Boas, diretora do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), unidade responsável pela execução dos eventos, a realização do Festival e da Caminhada demandaria um custo estimado de R$ 171 mil, valor que a Administração Central da Uefs não tem como disponibilizar nesse momento, já que teve seu orçamento reduzido em R$ 1,8 milhão em relação ao ano de 2014. Em comparação ao exercício de 2013, a redução é ainda maior: cerca de R$ 6 milhões.

Tradicionalmente realizado no mês de maio, o Festival de Sanfoneiros, que esse ano estaria em sua 8ª edição, chegou a mobilizar um público de mais de 1.500 pessoas em 2014. As últimas edições do evento registraram a presença de sanfoneiros de diversos estados, que disputaram premiações em dinheiro em duas categorias: até oito baixos e acima de oito baixos. E já contou também com a participação de músicos renomados, como Targino Godim, Celo Costa e Carlos Capinan, no corpo de jurados, e de Xangai, que encerrou o Festival do ano passado.

Realizada há 15 anos ininterruptamente, a Caminhada do Folclore, por sua vez, chegou a ter a participação de mais de 100 grupos folclóricos de Feira de Santana e de mais dez municípios circunvizinhos, tendo se tornado um importante espaço para as mais diversas manifestações da cultura de raiz.

Oficinas

Segundo a professora Rosa Eugênia, nem o apoio de alguns parceiros, que anualmente colaboram para a realização dos eventos, seria suficiente para cobrir os custos. “Foi uma decisão difícil. Lamentamos muito, mas seria irresponsabilidade manter os eventos. Não tivemos verbas sequer para empreender a logística que o Festival e a Caminhada demandam nos meses que antecedem a realização dos mesmos, a exemplo das viagens para a divulgação da abertura de inscrições em outros municípios”, ressaltou, lembrando que os eventos não poderiam ser redimensionados sem um estudo prévio.

Sobre a continuidade no próximo ano, Rosa Eugênia salientou que ainda não há uma perspectiva, mas que a Instituição, reconhecendo a importância dos eventos para a cidade, espera ter condições de voltar a realizá-los em 2016. “Nosso esforço será em prol da continuidade, ainda que, futuramente, precisemos adequá-los à realidade orçamentária. Para esse ano, vamos manter dois outros eventos importantes do calendário municipal: o Bando Anunciador, que desfila pelas ruas da cidade em 19 de julho, e o Aberto, a ser realizado no dia 18 de setembro”, informou.

Conforme o professor Aldo José Morais Silva, assessor do Cuca, a Instituição também está realizando ajustes nos custos de manutenção das 89 oficinas e cursos básicos nas áreas de artes visuais, música, teatro, dança e atividades corporais. “O objetivo é tentar mantê-los em funcionamento sem nenhum prejuízo para comunidade feirense, principal público-alvo dessas atividades. A oferta desses cursos tem grande relevância, já que se trata de um projeto de inclusão social, que visa o acesso à arte e à cultura por parte de pessoas que normalmente não têm essa oportunidade”, destacou.

Na opinião da vice-reitora da Uefs, professora Norma Lúcia Almeida, essa medida, ainda que temporária, “representa um duro golpe para a cultura popular regional, diminuindo a visibilidade de grupos tradicionais e interditando a apresentação de jovens sanfoneiros”. Aponta, também, conforme salienta, “para um encolhimento do importante papel da Uefs na fomentação de atividades culturais”.

.

Observação: Simplesmente lamentável!.

Uefs abre inscrições para o 7º Festival de Sanfoneiros

As inscrições para o 7º Festival de Sanfoneiros já estão abertas. O evento organizado pela Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), através do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), valoriza e incentiva a cultura nordestina premiando sanfoneiros de todo o país. Os candidatos vão disputar nas categorias até oito baixos e acima de oito baixos.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas de forma presencial até 23 de abril, de segunda a sexta-feira, das 8 às 11h30 e de 14 às 17h30, na direção do Cuca. Outra opção para os artistas interessados em participar do festival é fazer a inscrição via correios. O prazo de postagem é até 10 de abril. A relação final dos candidatos inscritos será divulgada no dia 29 de abril no portal da Uefs (www.uefs.br) e no site do Cuca (www.uefs.br/cuca).

O Festival será disputado em duas etapas. No ato da inscrição, o artistas deve entregar uma mídia com duas músicas, inéditas ou não. Depois, os selecionados participarão da final.

A grande final acontece no dia 22 de maio no Auditório Central da Uefs com entrada franca. O público também participa da premiação escolhendo através do voto popular o melhor sanfoneiro de cada categoria. Informações sobre documentação necessária, critérios de avaliação e valores dos prêmios podem ser consultadas no edital.

O Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca) funciona na rua Conselheiro Franco, nº 66, Centro, Feira de Santana. Mais informações através dos telefones (75) 3221-9744 ou 3221-9766 ou da página do Cuca na internet.

Para entrar no link do edital clique aqui.

 

 

 

Cuca divulga selecionados para segunda etapa do Festival de Sanfoneiros

O Centro Universitário de Cultura e Arte divulgou os selecionados para a segunda etapa do 6º Festival de Sanfoneiros, evento promovido pela Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). A etapa acontece nos dias 13 e 14 de maio, no Cuca, com a presença apenas dos jurados. O público poderá, mais uma vez, marcar presença na grande final que será realizada no Auditório Central do campus da Uefs.

Os candidatos da categoria de sanfonas acima de oito baixos deverão comparecer ao Cuca em 13 de maio, às 14h, e os candidatos da categoria de sanfonas até oito baixos, deverão comparecer no mesmo local em 14 de maio, às 8h. Todos devem estar munidos de sanfonas para apresentação individual e seleção da banca.

O Festival de Sanfoneiros de Feira de Santana acontece em três etapas. A primeira etapa foi realizada no início de maio e foi de audição dos CD’s entregues no ato da inscrição. A banca de avaliação desta etapa era composta pelo maestro Aderbal Duarte e pelos músicos sanfoneiros Mauricio Ramos e Eugenio Cerqueira.

A 2ª etapa conta com 14 selecionados na categoria I e 20 selecionados na categoria II. Aberta ao público, a última etapa, que é a final, será em 24 de maio, a partir das 18h, além da apresentação dos finalistas, contará com forró pé de serra, barracas de comidas típicas e apresentação dos finalistas.

Os classificados para a segunda etapa são:

Categoria sanfona até oito baixos: Antônio Mendes Soares, Antônio Pinheiro da Cruz, Arcênio de Araújo, Damião Ferreira de Souza, Elton Dheime Machado Mascarenhas, Godealdo de Jesus, Hermes Pereira Silva, José Apóstolo dos Santos, Joselino Pereira dos Santos, Luiz Gonçalves de Andrade, Luiz Pinto Saturnino, Manoel Ferreira de Oliveira, Pedro Pinheiro dos Santos e Raul Carneiro Lima.

Categoria sanfona acima oito baixos: Cícero Limeira Alves, Cícero Paulo Ferreira Feitosa, Daniel de Araújo e Novais, Enoque Marques Reis Filho, Jadson Bastos de Macedo, Jeferson Dias Rios, José Barbosa do Nascimento, José Edson Rodrigues da Silva, José Roberto de Souza Rosário, José Tadeu de Oliveira Filho, Joselito Ferreira Bezerra, Kelvin Diniz Gomes da Silva, Leandro Conceição Aquino, Lucivaldo Pereira Rodrigues, Luiz Carlos Freitas Silva, Pablo Rafael Jordão da Silva, Pedro Paulo Delmondes de Alencar, Thiago Mendes Souza, Thiago Felipe Jordão da Silva e Valdelicio Morais Silva.

 FSA, 7/5/13

 

Uefs abre inscrições para o 6º Festival de Sanfoneiros

A Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs) lançou editais de eventos do Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca) programados para 2013. Dentre os destaques está o 6º Festival de Sanfoneiros, realizado anualmente e consolidado como iniciativa de resgate de uma das principais culturas de raiz do Nordeste, a musicalidade praticada através da sanfona, que atrai artistas de diversos estados.

O 6º Festival de Sanfoneiros será disputado nas categorias até oito baixos e acima de oito baixos, em diversas etapas, com final no dia 24 de maio, no Auditório Central da Uefs. Nas duas categorias, além de troféus, o primeiro colocado recebe R$ 4.500, o segundo R$ 3.500 e o terceiro R$ 2.500. Também serão premiados os vencedores do júri popular, com R$ 1.500 e troféu em cada categoria.

Os interessados podem se inscrever, gratuitamente, até 12 de abril de 2013, no horário das 8 às 11h30 e das 14 às 17h30, de segunda a sexta-feira, no Cuca, localizado na rua Conselheiro Franco, 66, Centro, Feira de Santana, BA.

Galeria Carlo Barbosa

Também estão abertas as inscrições de projetos de exposição para a pauta 2013 da Galeria Carlo Barbosa, que funciona no Cuca. Podem participar artistas com propostas individuais ou coletivas. A iniciativa integra a política cultural da Uefs de valorização e difusão das diferentes linguagens artísticas e formas de expressão cultural, oferecendo espaços alternativos ao circuito das galerias comerciais de arte e abrindo o campo para novos talentos.

O terceiro edital lançado pelo Cuca diz respeito a inscrições para seleção de oficineiros, a fim de ministrarem aulas de natureza artística e cultural em turmas formadas em diversas categorias.

Os editais foram publicados no Diário Oficial do Estado da Bahia de 5 e 6 de janeiro de 2013 e estão disponíveis no site www.uefs.br/cuca. Contato com o Cuca pode ser mantido através dos telefones (75) 3221-9766 e 3221-9744.

Ascom/Uefs

 

 

Baio do Acordeon

 

Os festejos juninos se aproximam. A chuva caiu generosa e fez renascer a esperança em parte do interior baiano. Apesar da perspectiva de melhoras, inúmeras cidades  cancelaram os festejos juninos em razão da seca que atinge o estado. Muitas outras encolheram o calendário festivo em virtude da escassez de recursos financeiros, que devem priorizar o combate à seca. Entre elas, cidades como Senhor do Bonfim, Lençóis, Mucugê e Amargosa, palcos de festas tradicionais famosas pela animação e pelo grande número de turistas que as visitam para festejar o São João. Em 2012 vai ser diferente e os prejuízos não serão somente aqueles provocados pela estiagem; hotéis e pousadas, fabricantes de iguarias, bares, restaurantes, lojas de fogos de artifício e músicos também serão afetados.

No último dia 23 de maio, em Feira de Santana, aconteceu o V Festival de Sanfoneiros promovido pelo Cuca (Centro Universitário de Cultura e Arte). O vencedor do I Festival de Sanfoneiros, Baio do Acordeom, foi homenageado durante a festa. Baio – André Galdino dos Santos – nascido em 28 de Fevereiro de 1944, em Água Branca, Alagoas, e feirense de coração desde os sete anos de idade – é uma daquelas pessoas que têm dom de mudar o ritmo da vida. Adepto do “forró-pé-de-serra”, quem tem alguém como Baio por perto, não pode sentir tristeza; mesmo sem a fartura e variedade dos quitutes juninos, do milho e do amendoim que a seca não deixou nascer, a beleza da música nordestina que anima as festas de junho, ao som da sanfona, joga a tristeza para o alto.

O vencedor do I Festival de Sanfoneiros, do qual tive a honra de fazer parte da comissão julgadora, tem uma história bonita para contar. Seu pai era funcionário da Leste Brasileira e tocava sanfona de 8 baixos; Baio aprendeu com ele e juntos tocavam o “fole de 8 baixos” nas feiras livres das redondezas, acompanhados por Djalma (pandeiro) e Pedro (tambor), seus irmãos. Com o tempo resolveu experimentar outras sanfonas; inicialmente a de 24 baixos, a de 40, até chegar aos 120 baixos, mas tem preferência pela sanfona de 80 baixos.

Em 1974, no antigo Campo do Gado, famosa feira de animais que animava a cidade às segundas-feiras, Baio executava “Asa Branca” com a sua sanfona, quando foi ouvido por Luiz Gonzaga, o conhecido Rei do Baião. Gonzagão ouvindo aquilo ficou impressionado e muito feliz, a ponto de prometer-lhe uma sanfona branca. Algum tempo depois o presente prometido chegou ao endereço de Beto (a quem o Rei do baião confiava os consertos dos seus instrumentos quando passava pela Bahia), na Rua J. J. Seabra, em Feira de Santana, para que o mesmo fosse entregue a Baio. Beto não se encontrava em casa e o instrumento foi recebido pelo músico Erudilio, que o entregou ao destinatário: Baio do Acordeom. A história ficou famosa, quase uma lenda, mas a sanfona oferecida por Luís Gonzaga foi reverenciada como uma relíquia.

A trajetória artística de Baio é muito rica e bonita, enquanto sanfoneiro tradicional de Feira de Santana e região, muito conhecido na Bahia, no Nordeste e em grande parte do Brasil; ele conviveu com muitos artistas nordestinos, principalmente no final dos anos 60 e nas décadas seguintes, entre eles, o próprio Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Abdias dos 8 baixos, Marinês, Messias Holanda, Coronel Ludugero, Waldik Soriano e Lilico. Baio também participou da caravana CBS, com o grupo “Os Bambas do Nordeste”, formado por ele mesmo, Jorge (zabumba) e Binha (triângulo), com o Trio Nordestino (em especial, Lindú – um grande sanfoneiro e cantor de forró), Elino Julião (compositor e cantor do Rio Grande do Norte), Negrão dos 8 Baixos (André Araújo, grande tocador de “pé de bode” e muitos outros, especialmente, Jacinto Limeira.

Também participou de gravações de vários artistas como instrumentista, desde a época dos LPs e atualmente dos CDs. Baio é sempre solicitado para animar eventos juninos, ou sempre que o “forró pé-de-serra” é solicitado.

Parabéns, Baio! Enquanto existirem pessoas como você e sanfonas como a sua, o nordeste poderá sorrir, mesmo quando agredido pela seca inclemente.

Observação: As informações sobre o artista foram fornecidas por Jota Sobrinho e as fotos são do artista visual George Lima.

 

Grande final do Festival de Sanfoneiros

Dezesseis artistas, 15 de municípios baianos e um de Pernambuco, participam, nesta quarta-feira (23), da grande final do 5º Festival de Sanfoneiros que vai contar com show de abertura do cantor e compositor Timbaúba. O público também assistirá  apresentação do grupo instrumental Viola de Arame e de Baio do Acordeon, vencedor da primeira edição do Festival de Sanfoneiros, em 2008.
O 5º Festival de Sanfoneiros será transmitido online pela TV Olhos D´Água, da Uefs.
Para aqueles que estiverem fora da cidade, como eu, é posível assistir ao espetáculo acessando www.uefs.br e clicando no link da TV Olhos d’Água, localizado na seção Notícias.
Divirtam-se!

Festival de Sanfoneiros – 23 de maio

O Centro Universitário de Cultura e Arte divulgou os finalistas do 5º Festival de Sanfoneiros, evento promovido pela Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs). Eles participam da grande final no dia 23 de maio, a partir das 19h, no Auditório Central do campus universitário, em apresentação aberta ao público.

Os classificados são:

Categoria sanfona até oito baixos: Aloísio Santos Pereira, Hermes Pereira Silva, José Apóstolo dos Santos, Luis Gonçalves de Andrade, Luiz Pinto Saturnino, Manoel Alves da Costa, Manoel Ferreira de Oliveira e Raul Carneiro Lima.

Categoria sanfona acima de oito baixos: Armando Lima Batista, Cícero Limeira Alves, Daniel Gomes Neto, Elizeu Cunha de Freitas, Igor Cavalcante de Araújo, Jeandro Ferreira da Silva, Jeferson Dias Rios e José Tadeu de Oliveira Filho.

Este ano o Cuca inovou nas etapas de seleção com apresentação prévia dos candidatos, ao contrário das edições anteriores em que os sanfoneiros eram escolhidos por uma comissão que avaliava os trabalhos gravados em mídia.

Participam artistas de diversos municípios e até de outros estados brasileiros em duas categorias. Para a grande final foram selecionados oito sanfoneiros de até 8 baixos e mais oito acima de 8 baixos. Em cada categoria, os premiados ganham R$ 3.500 (1° lugar), R$ 2.500 (2° lugar) e R$ 1.500 (3° lugar), além do prêmio júri popular no valor de R$ 1 mil.

O Festival de Sanfoneiros tem o objetivo de resgatar uma das principais culturas de raiz do nordeste brasileiro. Desde 2008, artistas têm se apresentado para públicos de todos os segmentos e faixas etárias, comprovando que a sanfona permanece forte no imaginário da população. Desta forma, o Festival se consolidou como uma das principais atrações da região que antecipam os festejos juninos.

Ascom/Uefs

Encerrada a segunda etapa de seleção do 5º Festival de Sanfoneiros

O Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca) concluiu, na tarde desta quarta-feira (9), a segunda etapa de seleção dos candidatos inscritos no 5° Festival de Sanfoneiros.  Dos 33 candidatos selecionados para essa fase, 16 finalistas serão escolhidos.  O resultado deve ser divulgado até sábado, no site www.uefs.br/portal.

A apresentação dos candidatos foi avaliada por uma banca composta de três examinadores. O cantor, compositor e instrumentista Celo Costa , o compositor, músico, arranjador e cantor Moisés Gabrielli, e o acordeonista, produtor musical e arranjador Jó Miranda.

O nível dos concorrentes foi considerado alto pelos avaliadores. “As eliminações vão ser por centésimos”, revelou o avaliador Moisés Gabrieli. “Os elementos observados estão sendo a harmonia, melodia e ritmo, e performance e a execução”, acrescentou Celo Costa.

Essa é a primeira vez que o Festival de Sanfoneiros tem a segunda etapa de forma presencial. “Antes toda a seleção acontecia com o envio da gravação, mas sentimos a necessidade de avaliarmos a performance do candidato”, explicou a diretora do Cuca, Celismara Gomes.

Pedro do Peixe é estreante no festival. Ele é pescador de Riachão do Jacuípe e apresentou uma composição de autoria própria. “Pensava em participar, mas sempre desistia. Para mim foi uma surpresa ter passado pra a segunda etapa e já valeu a minha participação”, declarou.

Já Tadeu do Acordeon participa do evento pela terceira vez.  Ele que aprendeu sozinho a tocar a sanfona já possui  10 anos de carreira. “A importância do festival pra mim não é só competir, mas é a oportunidade de participar de um evento que valoriza a sanfona e o forró de Luiz Gonzaga”, disse.

O Festival de Sanfoneiros conta com apenas uma participante mulher. Lídia do Acordeon, que no ano passado ganhou a menção honrosa, novamente veio da Paraíba para tentar uma premiação. “A sanfona é a minha vida. Desde os nove anos de idade que esse é o meu ‘ganha pão”, revelou.

A grande final do 5° Festival de Sanfoneiros vai ser realizada em 23 de maio, às 19h, no auditório central do campus da Universidade Estadual de Feira e Santana (Uefs). Como são duas categorias que competem – oito sanfoneiros de até 8 baixos e mais oito  acima de 8 baixos – serão dois premiados de R$ 3.500 (1° lugar), dois premiados de R$ 2.500 (2° lugar), dois premiados de R$ 1.500 (3° lugar) e mais uma menção honrosa para o candidato eleito pelo júri popular no valor de R$ 1 mil.

Ascom/Uefs

Abertas as inscrições para o 5º Festival de Sanfoneiros

 

O Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), entidade vinculada à Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), abriu as inscrições para o 5º Festival de Sanfoneiros. Os artistas interessados em participar devem acessar o edital do festival, disponível no portal www.uefs.br, seção Notícias, ou solicitar cópia no Cuca.

A inscrição pode ser feita de forma presencial até 30 de março, de segunda a sexta-feira, das 8 às 11h30 e das 14 às 17h30. Quem preferir pode utilizar os correios, enviando a inscrição até 23 de março para o endereço: Rua Conselheiro Franco nº 66, Centro, Feira de Santana – Bahia, CEP 44002-128.

O espetáculo com os finalistas será realizado em 25 de maio no Auditório Central da Uefs, campus universitário.

Outras informações através do telefone (75) 3221-9766.

Festival de Sanfoneiros

 

      Uma mulher concorre à etapa final do concurso 

Pela primeira vez uma mulher participa da etapa final  do Festival de Sanfoneiros de Feira de Santana, promovido pelo Cuca. Trata-se de Lidia Tomaz de Aquino, que substitui o sanfoneiro Luiz Regival Carneiro. Por ordem de apresentação, Lidia será a última a mostrar ao público a sua performance. Ela é natural da cidade de Bananeiras (PB), atualmente residindo em Serrinha, onde também integra a Orquestra Sanfônica da cidade, a primeira no gênero na Bahia. 

Outra modificação no Festival. Benedito Souza Santana, da cidade de Irará,  fica no lugar de Luciano Reis de Jesus.  A desistência dos dois sanfoneiros foi motivada por compromissos profissionais que coincidiram com a data do festival.  A seleção dos 12 músicos que vão participar da final do concurso foi feita por uma comissão composta pelo cantor e intérprete de música nordestina, J. Sobrinho, o repentista Caboquinho e o cantor e compositor Timbaúba. 

O resultado do 4º Festival de Sanfoneiros de Feira de Santana será divulgado no final das apresentações, na próxima quinta-feira (26), no Centro de Cultura Amélio Amorim. No julgamento dos candidatos, que será feito por um júri composto de no mínimo cinco e no máximo 7 membros,  está em jogo a execução do instrumento ( a sanfona); performance do instrumentista, como desenvoltura e comunicação com o público;  e apresentação do conjunto, que inclui a sanfona, zabumba, triângulo e intérprete.

Socorro Pitombo

Festival de Sanfoneiros

 

Cuca faz plantão para atender candidatos ao Festival de Sanfoneiros

 Ainda há tempo. Os interessados em participar do 4º Festival de Sanfoneiros de Feira de Santana podem fazer a inscrição até sábado (7), no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), que vai manter funcionários de plantão das 9 às 18h, para receber os candidatos de última hora.  O Cuca também já definiu os nomes que vão compor o júri da pré-seleção dos candidatos: J. Sobrinho, cantor e intérprete de música nordestina; o repentista Caboquinho e o cantor e compositor Timbaúba.

Até a próxima terça-feira (10) serão divulgados os 12 sanfoneiros selecionados para participar da etapa final do Festival, agendada para o dia 26 de maio, às 20h, no Centro  de Cultura Amélio Amorim. Baio do Acordeon, vencedor do 1º Festival abre o evento, juntamente com o Trio de Forró.

No palco, a primeira atração da noite será a Orquestra Sanfônica de Serrinha, a primeira no gênero, na Bahia. Composta por 16 músicos (sanfoneiros) e três ritmistas, comandados pelo maestro Anderson Matos e tendo Chicão como produtor musical, a orquestra é formada por profissionais que sobrevivem em sua maioria da música.

No intervalo das apresentações, o público terá a oportunidade de assistir ao duo de sanfona e cordas, com os músicos Cissinho do Acordeon e Jurandir Santana e no final será brindado com um forró, incluindo sanfoneiros convidados, na área de estacionamento do Centro de Cultura.

Celismara Gomes, diretora em exercício do Cuca, informa que este ano a entrada para o Festival está vinculada à lotação do espaço. Por isso mesmo está sendo viabilizada a instalação de telões na área externa, a fim de que todos possam assistir as apresentações.

Socorro Pitombo – Assessoria Cuca/Uefs