Parte 4: A volta ao Brasil

Por Simone

Voltou ao Brasil em 2000, se ouvia as “Meninas do Brasil” de Morais Moreira no frescor de sua sala de estar em Feira de Santana.

“Três meninas do Brasil, três corações democratas

Tem moderna arquitetura ou simpatia mulata

Como um cinco fosse um trio, como um traço, um fino fio

No espaço seresteiro da elétrica cultura

Deus me faça brasileiro, criador e criatura

Um documento da raça pela graça da mistura

Do meu corpo em movimento, as três graças do Brasil

Têm a cor da formosura

Se a beleza não carece de ambição e escravatura

E a alegria permanece e a mocidade me procura

Liberdade é quando eu rio na vontade do assobio

Faço arte com pandeiro, matemática e loucura

Deus me faça brasileiro, criador e criatura

Um documento da raça pela graça da mistura

Do meu corpo em movimento, as três graças do Brasil

Têm a cor da formosura”

Patricia_Lucila_Simone-reduzida

Lucila, Simone e Patricia

Em Julho de 2014, Mainha declarou mais uma vez o seu amor à Denis cantando “Eu não existo sem você ” de Vinicius.

“… Assim como o oceano

Só é belo com luar

Assim como a canção

Só tem razão se se cantar

Assim como uma nuvem

Só acontece se chover

Assim como o poeta

Só é grande se sofrer

Assim como viver

Sem ter amor não é viver

Não há você sem mim

E eu não existo sem você.

Uma das músicas de seu lindo repertório. Em 2018, sua neta Juliette canta:

“Eu sou uma borboleta pequenina e feiticeira

Ando no meio das flores procurando quem me queira

Borboleta pequenina saia fora do rosal

Venha ver quanta alegria que hoje é noite de Natal”

Juliette não teve o tempo de ouvir sua Mamy interpretando “Borboleta feiticeira”.

Juliette_Avril-2017-reduzidaJuliette

 Anterior                                                                                                   Próximo

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.